Blog da Parábola Editorial

Blog da Parábola Editorial

A IRRACIONALIDADE DA “PASSIVA SINTÉTICA”

capa-blog-prof.-bagn_20191015-190323_1

 

 

A imposição de uma norma-padrão anacrônica e sem fundamentação nas práticas linguísticas autênticas, mesmo das camadas mais letradas da população, tem o efeito pernicioso de levar as pessoas a desistir de empregar determinadas formulações sintáticas pelo medo de “errar”. Um dos exemplos mais visíveis dessa situação tem a ver com o uso do pronome “se”, que há duzentos anos vem assombrando as pessoas que falam e sobretudo escrevem em português.

 

Já em 1918, o grande filólogo brasileiro Manuel Said Ali chamava a atenção para a irracionalidade de se cobrar uma concordância plural do tipo “alugam-se estas salas” com a desculpa andrajosa, esfarrapada e maltrapilha de que equivale a “salas são alugadas”. E ele diz que se alguém colocar um cartaz dizendo “estas salas são alugadas” é mais do que justificado que se duvide de sua “sanidade mental” (palavras de Said Ali). Existe uma diferença semântico-pragmática escandalosa entre “aluga-se estas salas” e “estas salas são alugadas”.

Continuar lendo
  411 Acessos
  0 comentários
411 Acessos
0 comentários
logo_rodape.png
Blog da Parábola Editorial
Todos os Direitos Reservados

Entre em contato

RUA DR. MÁRIO VICENTE, 394 IPIRANGA | 04270-000 | SÃO PAULO, SP
PABX: [11] 5061-9262 | 5061-8075
Sistemas Web em São Paulo

Search