Blog da Parábola Editorial

Ensinar na Universidade

Ensinar na Universidade

 

Uma leitura instigante

 

Acabei de ler Ensinar na Universidade – conselhos práticos, dicas, métodos pedagógicos. O livro, do professor Markus Brauer, foi escrito em francês e traduzido para o alemão, o espanhol e o português brasileiro para a Parábola Editorial (São Paulo, 2012), em tradução correta e detalhista de Marcos Marcionilo [http://bit.ly/2vsYhvb]. 

 

Continuar lendo
617 Acessos
0 comentários

Professor de educação básica

Professor de educação básica

Espécie em extinção?

A imprensa vive de surtos. Não só no Brasil, mas em todo o mundo, somos soterrados com a mesma notícia em todos os meios de comunicação, por dias a fio, até que ela perca força e interesse. São “barracos” no Supremo Tribunal Federal, escândalos no Congresso Nacional (escândalos no Congresso Nacional? Nossa! Nunca vi isso antes...). Mas, no meio desses dois temas viróticos, há um, sempre disfarçado, que nos chama muito a atenção: existe uma infinidade de salas de aula sem professores de educação básica país afora. “Infinidade”, aqui, não é modo de dizer:

De acordo com relatório do TCU (Tribunal de Contas da União), com o apoio de tribunais de contas de 25 estados e Distrito Federal, havia, em 2014, carência de 32 mil professores com formação específica nas doze disciplinas obrigatórias do ensino médio, num quadro que tem no total cerca de 400 mil docentes. O problema mais grave é nas áreas de física (10 mil), química (4,8 mil) e sociologia (4,6 mil). Além de professores sem formação específica, há ainda 30% de docentes que são contratados de forma temporária, sendo que em alguns estados esse patamar é acima de 50%.

O trabalho ainda aponta que há 40 mil professores em atividade administrativa, além de outros 5 mil cedidos a órgãos fora do sistema educacional e outros 16 mil afastados. Para o TCU, uma melhor organização dos estados e do governo federal poderia melhorar a gestão desse problema1.

4331 Acessos
0 comentários

(Falta de) tempo para a educação literária escolar

(Falta de) tempo para a educação literária escolar

A importância da educação literária no cotidiano escolar

 

Um dos problemas mais difíceis enfrentados pela escola no quesito ‘educação literária’ é a insuficiência de tempo para garantir a leitura e a discussão de textos literários, e para se pensar a produção de textos relacionados às experiências literárias: sejam memórias de leitor, sejam textos críticos, sejam, por fim, trabalhos ficcionais. Se acrescentarmos outro ponto que venho defendendo veementemente – a saber, a necessidade de vivenciar o sistema literário de modo mais amplo –, o tempo nos espreme ainda mais.

Como garantir, com duas aulas (e às vezes uma…) de literatura por semana, condições de frequentar lançamentos, feiras, rodas de conversa, palestras de especialistas, exposições temáticas e acervos permanentes? Como criar e participar de clubes de leitura, como realizar entrevistas com agentes da cadeia produtiva do livro, como acompanhar polêmicas em periódicos especializados, como organizar e participar de saraus? Como entender e tomar parte em “disputas” ou “batalhas” poéticas – do repente ao rap? Como vivenciar o cotidiano de uma biblioteca institucional e de uma biblioteca comunitária, e entender a importância desses diferentes espaços para o acesso aos textos, para a mediação cultural, para a preservação da memória, para a pesquisa especializada? Como explorar as potencialidades oferecidas pelos novos suportes e recursos digitais de maneira crítica, colaborativa e criativa?

7892 Acessos
0 comentários

Dez razões para usar as tecnologias digitais em sala de aula

Dez razões para usar as tecnologias digitais em sala de aula

O uso das tecnologias digitais em sala de aula

As tecnologias digitais estão definitivamente integradas em nossas vidas e ninguém mais tem dúvidas da necessidade de sua integração em nossas práticas pedagógicas. No livro Letramentos digitais, Dudeney, Hockly e Pegrum (2016) defendem que professores e alunos necessitam adquirir quatro tipos de letramento digital. O primeiro está relacionado ao uso da linguagem para comunicação, incluindo a utilização de celulares; o segundo visa tanto à busca quanto à filtragem de informação; o terceiro diz respeito às conexões como a participação em redes sociais, entre outros tipos de conexão; e o último inclui o (re-)desenho ou remix, como por exemplo, usar editor de imagens, inserir voz ou legendas em um filme com outro sentido, fazer montagens de textos e imagens etc.

Muitos são os motivos para usarmos as tecnologias digitais em sala de aula e o principal deles, em minha opinião, é o fato de fazerem parte de nossa vida cotidiana, pois os computadores, tabletes e celulares conectados à Internet se tornaram uma extensão de nós mesmos. A sala de aula não pode ignorar esses novos hábitos mediados pela Internet. 

7795 Acessos
0 comentários

Meus alunos não gostam de ler!

Meus alunos não gostam de ler!

Dicas para estimular o hábito de leitura dos alunos na sala de aula

Material produzido por Carla Viana Coscarelli e pela equipe do Redigir, FALE/UFMG

Isso acontece com frequência, mas não é o que queremos para nossos alunos, não é mesmo?

Aqui vão algumas dicas para você pensar sobre essa questão e encontrar algumas saídas para ela.

Detectando problemas:

Continuar lendo
4429 Acessos
0 comentários

A importância de trabalhar literatura nas escolas

A importância de trabalhar literatura nas escolas

Veja uma lista de livros imperdíveis para trabalhar literatura na sala de aula.

É por meio da literatura que os alunos desenvolvem a imaginação, o hábito de leitura, o pensamento crítico e suas emoções. E mesmo sabendo que o ensino de literatura não está tão presente nas escolas como deveria, o cuidado para não tornar essa disciplina tão importante monótona deve ser tomado.

Para isso, listamos aqui quatro livros imperdíveis que lhe ajudarão a trabalhar o ensino de literatura e a prática da crítica literária em sala de aula.

3913 Acessos
0 comentários
logo_rodape.png
Blog da Parábola Editorial
Todos os Direitos Reservados

Entre em contato

RUA DR. MÁRIO VICENTE, 394 IPIRANGA | 04270-000 | SÃO PAULO, SP
PABX: [11] 5061-9262 | 5061-8075
Sistemas Web em São Paulo

Search