Blog da Parábola Editorial

Blog da Parábola Editorial

Sueli Carneiro, filósofa do feminismo negro

Sueli-Carneiro

Sueli Carneiro [*1950] é a primeira Personalidade Literária do Prêmio Jabuti não proveniente do Eixo Literatura. Em 2022, o Prêmio Jabuti olhou para si mesmo e, de repente, se deu conta de que a Personalidade homenageada não teria de ser obrigatoriamente ficcionista, uma vez que o conceito de literatura é, por definição, mais amplo que a ficção apenas. A literatura é a arte de escrever, a escrita, mas também a instrução, o saber, a ciência Nela cabe toda figura proveniente da filosofia, da sociologia, de qualquer das áreas das ciências humanas, de qualquer das áreas da produção de sentido. Assim surge essa homenagem.

Nossa Personalidade Literária se declara “uma intelectual orgânica”, e sua obra comprova toda a organicidade de seu pensamento. Em confronto aberto com os nós históricos de uma sociedade que se declara democrática, harmônica e mestiça em vez de engendradamente racista, Sueli Carneiro encontrou em Michel Foucault as ferramentas teóricas para confrontar esse delírio. Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, temos já em sua tese de 2005 [“A construção do outro como não-ser como fundamento do ser”] um modelo de interlocução intelectual que recusa o individualismo genial e aposta no diálogo constante com as referências teóricas com as quais ela escolheu pensar para fazer avançar conceitos fundamentais, que nos trazem até esse fecundo momento da história brasileira: epistemicídio, racismo estrutural, biopoder, instrumentos cortantes para contornar a desqualificação política e economicamente programada dos tidos por inferiores, das mulheres e homens legados ao não-ser como fundamento do ser de quem se arroga todos os direitos de grupo no topo com base na negação dos direitos de todos…

Ao atender  a nossa chamada, Sueli Carneiro se disse “não escritora”. Ela também achava que apenas ficcionistas poderiam receber nossa homenagem. É fato comprovado que as personalidades mais merecedoras do título de Personalidade Literária, ao se verem diante da formalização do convite, hesitam, pensam duas vezes, para depois se verem refletidas na longa linhagem das(os) pensadoras(es) que fazem da letra dura da literatura o modo de mais corajosamente pensarem o Brasil. Há quem o faça ficcionalizando, há quem o faça criando uma obra de interpretação e de convocação ao diálogo e ao aquilombamento, esse dispositivo de refacção do laço social em novos termos. Depois de aceitar, ela nos diz que subirão ao palco da solenidade de entrega do título todas as suas interlocuções e todas as suas parcerias, entre as quais se contam Milton Santos, Lelia Gonzalez, Abdias do Nascimento, Octavio Ianni, Boaventura de Souza Santos, para citar apenas algumas. Assim como serão homenageados todos os coletivos  e pessoas que, inspiradas(os) por ela, encetam o necessário combate. Como tudo o que é orgânico, o pensamento de Sueli Carneiro aposta no coletivo, na junção, na caminhada em família, em grupo para, finalmente, pensarmos numa caminhada em sociedade, uma vez desfeitos todos os atentados históricos à liberdade e à inclusão de todas as forças que configuram nosso país, nossa casa no mundo.

Diante da figura lunar de Sueli Carneiro, a Personalidade Literária de 2022 é então concedida a uma doutora em filosofia que trabalha em todas as frentes possíveis para incrementar e fazer reconhecer a representatividade negra na produção de conhecimento. Doutora “honoris causa” pela Universidade de Brasília também neste 2022, ela chama a atenção para um dado inegável:

“[…] Os ativistas negros, por sua vez, com honrosas exceções, são tratados, pelos especialistas da questão racial, como fontes de saber, mas não de autoridade sobre o tema. Os pesquisadores negros em geral são reduzidos também à condição de fonte e não de interlocutores reais no diálogo acadêmico, quando não são aprisionados exclusivamente ao tema do negro” (A construção do outro como não-ser como fundamento do ser”, 2005, p. 60).

Nessa hora, o Prêmio Jabuti 2022 se junta às forças pensantes e democráticas do Brasil para dizer a nossa Personalidade Literária: “Em nossa busca de representatividade fora do estritamente ficcional, encontramos em sua figura e em sua luta todas as razões para inaugurar esse novo momento. Como Prêmio literário abrangente e lugar de fluxos e conflito criador, temos em você a intelectual mais indicada para abrir conosco esse caminho, visto que você, de tão orgânica, não apenas indica a rota, mas faz o trajeto conosco. Bem-vinda ao rol das Personalidades Literárias do Prêmio Jabuti, Doutora Sueli Carneiro”.

Normatizar sem prescrever: a utopia do TAMBÉM
Normativismo do bom
 

Comentários

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Login Aqui
Visitantes
Quinta, 19 Mai 2022
logo_rodape.png
Blog da Parábola Editorial
Todos os Direitos Reservados

Entre em contato

RUA DR. MÁRIO VICENTE, 394 IPIRANGA | 04270-000 | SÃO PAULO, SP
PABX: [11] 5061-9262 | 5061-8075
Sistemas Web em São Paulo

Search